Crise: Executivo faz cortes pela saúde, educação e serviços básicos - Prefeitura de Lamim

Crise: Executivo faz cortes pela saúde, educação e serviços básicos

Diante da diminuição crescente e progressiva das receitas que o Município de Lamim vem enfrentando nos últimos meses, associado ao não repasse de recursos da educação e saúde por parte do Governo Estadual, uma série de medidas para controlar e diminuir despesas com a máquina pública foram tomadas.

Dentre elas a exoneração de parte do secretariado como o Secretário Municipal de Obras, que foi inclusive uma das primeiras medidas, seguidas da exoneração dos Secretários de Agricultura e Meio ambiente, Cultura e Turismo e ainda de renúncia de salários dos Secretários Municipais de Saúde, Administração, Assistência Social e inclusive do Procurador Municipal, além da Coordenadora do CRAS, Coordenadora do PSF, Chefe de transporte e Ouvidor Municipal que também mantém suas atribuições abdicando de seus proventos. Não podemos deixar de destacar que o Secretário Municipal de Cultura e Turismo, mesmo exonerado, continua colaborando com as ações inerentes a pasta.

No entanto, a despeito da severa contenção de gastos e cortes nos cargos de confiança, a situação financeira do Município continua grave, sendo necessário a suspensão temporária de diversos contratos administrativos.

Todas as ações estão em um decreto publicado no Site Oficial do Município, e assinado pelo Prefeito Marco Antônio de Assis, onde define prioridades para manutenção dos serviços básicos, ou seja, os cortes são com o objetivo de manter a população assistida de médico 24 horas, abastecimento de água, atendimento as emergências na área de saúde, limpeza urbana e pagamento de funcionários além da manutenção das aulas na rede municipal de ensino e o transporte escolar.

O prefeito destaca que o decreto publicado é um alerta à comunidade, para a situação vivida hoje, não apenas por Lamim, mas pelo Brasil inteiro. “Estamos lutando para atender os serviços essências, pois Educação, Saúde e Coleta de Lixo não podem parar. E as prefeituras do Estado encontram-se impossibilitadas de manter investimentos mesmo nos serviços básicos. Além disso, este ano, os governos municipais atravessam a maior crise financeira, já enfrentada nos últimos tempos, e não podemos deixar de esclarecer para nossos Munícipes, que nossa cidade, conta com uma situação diferenciada, que é a manutenção de plantões médicos 24 horas no Hospital Municipal Divino Espírito Santo com recurso próprio, sem o auxílio do SUS. Esse essencial investimento na saúde visa amenizar as mazelas impostas pelo SUS a todos os cidadãos, contudo onera de forma singular nosso Município."

O Prefeito Municipal está confiante que com as medidas adotadas, a situação financeira se restabelecerá, mas afirma que o atendimento médico, a limpeza urbana, o abastecimento de água, o atendimento à população dos serviços básicos e o pagamento dos funcionários, são prioridades nesse momento de crise. Desta forma, conta com a colaboração dos funcionários municipais e de toda população, pois tais medidas visam o bem estar de todos os Laminenses.

Autor: Assessoria de Comunicação