Governo de Minas deve mais de R$ 1,6 milhão à Prefeitura de Lamim - Prefeitura de Lamim

Governo de Minas deve mais de R$ 1,6 milhão à Prefeitura de Lamim

Dados atualizados pela AMM (Associação Mineira de Municípios) dão conta de que o Governo do Estado deve ao município de Lamim o montante de R$1.663.409,89 (um milhão seiscentos e sessenta e três mil quatrocentos e nove reais e oitenta e nove centavos).

Segundo a AMM, mais R$1.030.407,41de um milhão e trinta mil são dívidas com o setor de saúde. O restante são dívidas relativas ao FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), piso da assistência social e transporte escolar.

Portanto, a dificuldade financeira continua assolando o município. O confisco do dinheiro, ainda não devolvido, leva a administração a ter que se virar para manter os serviços essenciais em funcionamento. De acordo com o Prefeito Dr. Marco Antônio os recursos de emendas parlamentares são insuficientes para enfrentar a rotina de problemas.

A irregularidade no pagamento dos repasses vem causando um verdadeiro nó nas gestões municipais. Diversas cidades decretaram calamidade financeira, com a folha de pagamento dos servidores atrasada e obras e serviços básicos paralisados.

Os atrasos referem-se aos repasses constitucionais semanais do ICMS e Fundeb, além do transporte escolar e do piso da assistência social. A dívida total no Estado, incluindo repasses da Saúde, multas de trânsitos e juros e correções, já ultrapassa a cifra de R$ 9,7 bilhões, segundo levantamento da Associação Mineira de Municípios (AMM).

O Prefeito Marcão está ciente de que medidas de austeridade financeira são sempre necessárias para viabilizar as obras que estão em andamento. Atualmente as obras de implantação do sistema de água, que devem ser retomadas na primeira semana de setembro e a finalização do parque de exposições, são prioritárias e que demandam maior disponibilidade de recursos.

Poderíamos esclarecer que "ficamos gratos com toda a ajuda , no entanto quanto a recursos de emendas parlamentares, temos seus gastos pré definidos e especificados , portanto não podem ser usados pra sanar problemas que as vezes são urgentes . Sendo assim temos consciência que deve haver uma mudança na distribuição dos recursos , que deveriam ser repassados diretamente aos municípios , sem a influência dos “velhos atravessadores “", concluiu o Prefeito.

Autor: Assessoria de Comunicação